Seja Bem Vindo

Este Blog foi criado com o objetivo de possibilitar uma maior interação entre minhas atividades e àqueles que por elas se interessarem.
Espero que gostem.
Antecipo meus agradecimentos e não esqueça de deixar seu comentário.
Sugestões pelo e-mail.
Obrigado pela visita.

domingo, 26 de abril de 2015

Plataforma que Integra Sisu, Prouni e Fies Deve Sair Este Ano

No mês de fevereiro, o então ex-ministro da educação Cid Gomes, anunciou que pretendia criar um ambiente virtual no qual os estudantes poderiam se inscrever no Fies da mesma forma que acontece com o Sisu e Prouni (leia a notícia completa).
Dando sequência ao planejamento do Ministério da Educação (MEC), o atual ministro Renato Janine Ribeiro afirmou, na última quinta-feira (23), que a plataforma que integra os programas de acesso ao ensino superior que utilizam o Enem deve ser lançada ainda neste ano de 2015.
O objetivo da criação da ferramenta é facilitar e tornar mais prática a participação dos estudantes. Hoje o aluno se inscreve no Sisu, Prouni ou Fies de forma independente, tendo que realizar três processos diferentes. Conforme esclareceu Janine, com este novo sistema, a inscrição é realizada uma vez só numa plataforma unificada, que aproveita os dados cadastrados.
A ideia é a seguinte: não ter que três vezes entrar em três plataformas diferentes ou três vezes entrar na mesma plataforma e preencher tudo. Todos os dados já estão lá. Uma vez feita a inscrição, é só afirmar, no caso de não ter sido atendido, que quer passar para uma outra oferta de programa federal de acesso ao ensino superior.
Neste novo modelo, as inscrições continuariam a ser realizadas em períodos diferentes. Primeiro o candidato se inscreve no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para disputa de vagas nas universidades públicas. Caso não seja aprovado e cumpra com os pré-requisitos exigidos, poderá posteriormente utilizar os dados no próprio sistema para disputa de bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni), em instituições particulares.
Por fim, como última etapa, terá ainda a oportunidade de tentar a contratação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), para financiar sua faculdade e começar a pagar somente depois de 18 meses.
O ministro também não descarta a inclusão do Sisutec (Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica), que classifica estudantes para instituições de ensino técnico participantes, no ambiente virtual integrado.
A previsão de lançamento do sistema é para o final do ano, após a realização do exame nacional.

Recebido por email de:
InfoEnem

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Professor não pode ter um automóvel!!! (desabafo em tempos de GREVE)



Em tempos de greve...Tenho escutado frequentemente a seguinte fala: "esses professores todos de carro e tão aí grevando"...

Infelizmente vivemos numa sociedade hipócrita que ao ser perguntada sobre a importância da educação, prontamente se diz sabedora da fundamental importância da mesma. No entanto, no âmbito do pessoal, frequentemente tenho escutado esse argumento sobre a greve na educação. Uma sociedade onde um médico pode ter automóvel, um policial pode ter também, o mecânico, o ambulante, o bananeiro, o vigia, o delegado, o bombeiro, enfim, qualquer um pode ter um automóvel; mas o professor esse não. Não nos é permitido também querer usar deste veículo pelo simples fato de está exercendo a profissão de professor. Infelizmente pensamentos como esse é resquício da histórica construção da carreira de professor em nosso país. Historicamente desvalorizada pelo Estado (diga-se neste caso Governo) a educação tem seu mitos, entre eles de que ser professor e vocação. Saibamos que escola não é mais mosteiro, onde na Idade Media, a escola era para poucos. 
Claro que em alguns casos temos que relevar pois não podemos quer e que um povo que ficou de fora da escola durante séculos entenda de história da educação no Brasil. E querer muito querer ter direito de usar um automóvel e também querer que este mesmo povo saiba que até dez anos atrás apenas 1%(isso mesmo, um por cento da população brasileira) chegava as universidades. Lembrando que as mudanças não foram ainda significativas. E querer muito ter um carro, e querer tambem que essa população historicamente excluída do processo escolar saiba que a chamada universalização do ensino médio se deu nos anos 1990, sob a tutela de uma política neoliberal que tem como premissa a privatização da educação.
Se hoje temos o direito de greve, constitucionalmente garantido, é por que antes de nós outros professores lutaram e até perderam seus empregos, quando não a vida, para nos garantir uma sociedade menos injusta. E garantir também, até mesmo, o direto de dirigir um automóvel, que no Brasil se tornou símbolo do status quo de uma sociedade extremamente desigual. Por isso, essa ideia, ao meu ver "idiota" e "ingenua" de que professor não pode grevar e muito menos ter um automóvel. 
Trabalhamos por que gostamos do que fazemos, apesar de termos maus profissionais, o que se encontra em qualquer categoria profissional, mas isso não nos impede de lutar pela melhoria da educaçao, que deve ser PÚBLICA e de QUALIDADE. Pois isso é dever do Estado, assegurado na constituição Federal. Repensem seus argumentos.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

As 5 habilidades com multimídia essenciais para educadores

1) Solucionar sozinho o máximo de problemas tecnológicos possível
2) Seja curioso
3) Utilizar vídeos que realmente captem a atenção
4) Lidar com múltiplos dispositivos digitais
5) Aperfeiçoar suas apresentações


A comunidade online The Journal, focada em transformar a educação através da tecnologia, fez uma pesquisa nacional com professores, administradores e líderes em soluções digitais. O motivo? Descobrir como tecnologia engaja seus alunos e reenergiza as salas de aula.
O resultado aponta que os professores têm uma alta gama de recursos e conhecimentos na palma da mão quando o assunto é tecnologia, mas o mais importante para atingir resultados é desenvolver habilidades com essas tecnologia dentro da sala de aula. Ser organizado e também flexível. Mas acima de tudo é preciso que o professor esteja confortável com as tecnologias para que as transformações aconteçam.
A pesquisa selecionou as melhores dicas e desenvolveu 5 habilidades essenciais que um educador multimídia deve ter.
Mesmo que a sua escola tenha ótimos funcionários de TI, existem casos onde é possível e necessário se virar sozinho. Primeiro, para otimizar o tempo já curto e precioso da sua aula, visto que naquele momento os técnicos em TI podem estar lidando com outras demandas. E segundo, para reforçar a sua autonomia diante os alunos, passando confiança. Ou seja: a internet não funciona? o software precisa ser reeinstalado? o DataShow está demorando para ligar? Cuide você mesmo! São coisas simples e possíveis de aprender com pouco esforço. Desenvolver essas habilidades vai lhe poupar tempo e garantir autonomia.
Um professor curioso sempre leva o melhor para a sua aula, pois está apto a descobrir coisas novas e empolgantes. Uma das vantagens da tecnologia na sala de aula é que ela nunca é constante, sempre dispõe algo novo e muitas possibilidades. Oferecer essas perspectivas para os alunos reflete diretamente no engajamento e no aprendizado deles. Informações atualizadas e ferramentas adequadas novas, como apps, podem tornar um conteúdo aparentemente enfadonho em algo instigante. Buscar novidades é quase sempre a garantia de aulas interessantes, e a tecnologia só tem a contribuir com essas descobertas. Com a dose certa de confiança, é possível explorar o desconhecido e inovar nas aulas e sair da mesmice.
Os estudantes de hoje em dia assistem, diariamente, uma grande quantidade de vídeos disponíveis online, e não obstante compartilham com seus colegas nas redes sociais. A estratégia é aproveitar esse contexto e utilizar vídeos que sejam interessantes para os alunos na sala de aula, aproximando-a de seus cotidianos e tornando-os mais participativos na aula. Para ser interessante, o ideal é evitar que o vídeo seja prolixo. Muitas vezes um vídeo de dois minutos diz mais do que um cartaz de quatro parágrafos. Quando exibido corretamente, o vídeo prende a atenção melhor do que lousas e textos. Outra estratégia ainda melhor é envolver o aluno na busca por esses vídeos. Pedir que eles façam seus próprios vídeos contando histórias sobre o que aprenderam ou tragam exemplos de vídeos da web casa como tarefa são alguns exemplos. O importante é engajar e provocar a participação.
Basta um professor se atrapalhar com as parafernalhas tecnológicas na sala de aula que a situação já vira motivo de risos entre os alunos. Para minimizar esses momentos, o recomendado é aprender a manusear bem os múltiplos dispositivos que serão utilizados em aula – até para otimizar o tempo -, sejam projetores, lousas digitais, equipamentos interativos. Conheça bem o equipamento antes de usá-lo. Outra dica de como lidar com os dispositivos é justamente saber quando não usar. Se a atividade oferece algum tipo de risco para os aparelhos (como a possibilidade de perdê-los ou molhá-los) ou não vai contribuir em nada, sendo usada apenas por usar, é melhor deixá-la de lado nesta aula específica.O importante é usar o que for possível na hora certa.
Educadores não devem parar de aprender nunca. Até mesmo nos âmbitos em que eles aparentemente dominam, é sempre possível melhorar e aperfeiçoar novas técnicas. Como os pilotos de avião, que nunca devem achar que sabem tudo sobre seu ofício, professores podem e devem aumentar o nível de suas apresentações no PowerPoint, por exemplo, descobrindo novas maneiras de fazê-los. Muitos professores acreditam estar fazendo bons slides para seus alunos, mas a verdade é que raras são as vezes em que eles absorvem tudo, como podemos conferir neste artigo. Busque novos modelos, novas estratégias, desenvolva habilidades e pesquise. Informação certa sempre gera boas ideias.
Disponível em http://www.escribo.com.br/as-5-habilidades-com-multimidia-essenciais-para-educadores/

Como a escola pode usar a internet para se comunicar melhor com os pais?


Como a escola pode usar a internet para se comunicar melhor com os pais?
Manter saudável a relação da escola com os pais de seus alunos é uma das mais importantes ferramentas para o sucesso da instituição. Com pais satisfeitos, as matrículas renovadas são uma certeza, os coordenadores e professores sentem-se mais a vontade para realizar seus trabalhos e consequentemente os alunos ficam mais instigados à aprender.  E não é segredo que a forma mais prática de estimular uma boa relação com os pais é através da comunicação.
Como nem sempre os pais têm tempo de se comunicar com os professores e coordenadores pessoalmente, por que não usar a internet para estreitar esses laços com qualidade? Graças à tecnologia, é possível construir uma relação com as famílias, conectando-as com a realidade da escola e consumido menos tempo de ambas partes,  além de ser mais conveniente para muitos. Confira algumas dicas:
1. Grupos no WhatsApp
Muitos pais já têm grupos com pais de outros alunos para socializarem as experiências dos filhos na escola, falarem sobre trabalhos, eventos e programas caronas. Por que não agregar professores à essa rede? Um grupo com professores e coordenadores no WhatsApp pode aproximar os pais da realidade escolar que os educadores já convivem diariamente, ao passo que aproximará estes educadores da realidade do aluno em casa. Além disso, tornará mais fácil a comunicação na hora de tirar alguma dúvida sobre o que foi passado na agenda, sobre o material que deve ser levado, sobre a hora dos eventos.
2. Newsletter
Uma máxima no mundo do marketing é que “o segredo” está na lista de email marketing, também conhecida como Newsletter. Através de plataformas como o MailChimp ou UOL Host, é possível criar um e-mail personalizado que pode ser mandado periodicamente com novidades sobre a escola, informações internas sobre matrícula, eventos ou informações sobre notas e boletins, além de mensagens especiais em datas como Dia das Mães/Dia dos Pais, Páscoa e Natal.
3. Site da escola sempre atualizado, com realizações e feitos dos alunos
Sua escola pode ter uma proposta pedagógica interessante, promover bons projetos, ter compromisso com o meio-ambiente, levar os alunos à pensar diferente. Mas de que adiantam tantas qualidades se, ao procurar pelo nome da instituição no Google, os pais acharão uma página vazia, cinza, com poucas informações? É preciso que o site mostre o que aquela escola tem de bom, mas acima de tudo o que ela tem de diferente das outras – fotos das competições e eventos que os alunos participaram, atividades extracurriculares, colagens com matérias da escola que saíram na mídia, portfolios sobre os projetos, além de uma área dedicada para contato, onde os pais possam receber o Newsletter do site por email. É interessante também frisar no topo do site a missão, metas e valores da escola.
4. Atualize as redes sociais, como Instagram, Twitter, Facebook e LinkedIn
Mídias sociais são muito importantes – hoje em dia, pessoas nascidas na geração Y já são pais e mães completamente inseridos nos meios digitais. Esses pais e mães usam internet para, entre outras coisas, falar – e muito – sobre seus filhos, contar sobre seu dia a dia, suas experiências. Muitas mães, aliás, trocam essas experiências entre si, contando qual o melhor lugar para levar filhos nas férias, os restaurantes que oferecem boas opções de cardápios para crianças e, claramente, as melhores escolas e creches. Logo, empresas e instituições com boas páginas na internet causam boa impressão nesses pais. Confira mais dicas sobre TwitterFacebook, LinkedIn e Instagram que postamos no blog anteriormente.
5. Enviar por email lista de sites onde os pais podem ajudar seus filhos com as tarefas:
Peça para que seus professores recomendem sites onde os alunos possam pesquisar sobre conteúdos, acessar bancos de questões, tirar dúvidas e aprender mais. Com esses sites em mãos, repasse para os pais inscritos no Newsletter e divulgue no Facebook da escola que é possível obter essa lista ao se inscrever no site da escola, agregando mais pais para a sua rede de contatos e email marketing. (por Aditi Rao, do site TeachBytes)
6. Enviar formulários de satisfação periodicamente:
O feedback dos pais é essencial para que a escola reconheça onde pode melhorar e entenda mais claramente o que os pais esperam dela. Através de formulários em plataformas como o Google Forms, você pode medir a satisfação dos pais e identificar áreas em crise com perguntas sobre diversos aspectos, como estrutura, professores, didática. Os pais gostarão de saber que a opinião deles importa! (por Aditi Rao, do site TeachBytes)
Como você usa a internet para aproximar sua escola dos pais?
Disponível em http://www.escribo.com.br/como-a-escola-pode-usar-a-internet-para-se-comunicar-com-os-pais/

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Ministro Defende Aplicação do Enem Pela Internet

O ex-governador do estado do Ceará e agora novo ministro da educação, Cid Gomes, declarou na última sexta-feira (09) que pretende criar um projeto que propõe a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) unicamente pela internet.
De acordo com ele, o “Enem online” eliminaria toda a dificuldade logística e de segurança da realização de uma prova física para 8 milhões de candidatos do Brasil inteiro num único final de semana, como acontece hoje em dia.
Existe um esforço violento para fazer com que 7 milhões de pessoas sentem para fazer uma prova e isso, naturalmente, gera uma série de complicações.
Cid Gomes explicou que neste projeto o exame liberaria aos candidatos um banco de dados com mais de 70 mil questões das quatro grandes áreas, sendo que a prova seria realizada em computadores de terminais de redes previamente credenciadas e públicas, como as universidades federais, por exemplo. Cada aluno poderia inclusive fazer mais de uma prova do Enem por ano, no período em que os terminais estiverem liberados, cabendo as instituições de ensino superior informar quais edições do exame seriam válidas para seleção de novos estudantes.
Quanto a possibilidade de um estudante decorar as questões para burlar um edição futura do Enem online, o ministro zombou dizendo que o candidato teria que ser “um gênio” para memorizar todas elas.
A realização do exame pela internet ainda é apenas uma ideia e não tem prazo para ser colocada em prática. Cid deve debater e trabalhar muito a proposta antes de apresentar algo oficial a presidenta Dilma Rousseff.
Portanto, o Enem 2015 deve ocorrer normalmente no mesmo modelo e forma de aplicação dos últimos anos.

Recebido por email de: contato.infoenem@gmail.com