Seja Bem Vindo

Este Blog foi criado com o objetivo de possibilitar uma maior interação entre minhas atividades e àqueles que por elas se interessarem.
Espero que gostem.
Antecipo meus agradecimentos e não esqueça de deixar seu comentário.
Sugestões pelo e-mail.
Obrigado pela visita.

sábado, 6 de julho de 2013

Civismo

Escolas deverão executar os hinos Nacional e Estadual a partir de agosto

Escolas públicas e particulares do Pará irão, a partir do segundo semestre de 2013, executar o Hino Nacional e Estadual uma vez por semana, em todos os turnos, no início das atividades escolares e também em atividades cívicas realizadas pela escola. A iniciativa atende a Lei N°7.715 publicada no Diário Oficial do Estado por meio de decreto do governador do Pará, Simão Jatene, no dia 25 de junho.

A diretora de Educação Infantil e Fundamental da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Ana Claúdia Hage, explica que desde 2012 a secretaria distribui a todas as escolas da rede de ensino estadual o hino do Brasil e do Pará, para que seja estipulado, dentro do calendário das escolas, um dia da semana para a execução dos hinos.

“Já temos escolas que praticam esse ato cívico, como a Escola Estadual de Ensino Infantil e Fundamental Ruy Paranatinga Barata e a Pinto Marques. A partir da lei, a Seduc vai começar a acompanhar a realização dessa atividade. Não se trata de uma imposição da secretaria e sim uma demanda da própria sociedade, hoje em dia bastante mobilizada” revela.

Ana Claúdia conta que as próprias escolas irão escolher o dia da semana no qual os hinos nacional e estadual serão executados pelos alunos, professores e funcionários da escola. “Em agosto nós iremos auxiliar no cronograma das escolas para que a gente, dentro do possível, possa acompanhar essa execução dos hinos como forma de atender a legislação” esclarece.

Em relação aos diretores e professores da rede de ensino no Pará, Ana Cláudia conta que tem sido excelente a aceitação, principalmente nas escolas que já praticam o ato por incentivo da própria diretoria. “Na verdade essa é uma demanda do Brasil como um todo. O nosso país está vivendo um momento cívico, pois tem sido constante o canto do hino em vários eventos pelo país. Ao contrário de anos atrás essa demanda é da própria sociedade e não imposta como na época da Ditadura Militar”.

Para a diretora do Instituto de Educação Estadual do Pará (IEEP), Luiza Rodrigues, a lei propõe “um resgate da cidadania e do espírito nativista do aluno”. Ela considera que executando novamente os hinos dentro das escolas, os alunos irão começar a contextualizar, de forma real, o caráter nacionalista que a iniciativa propõe.

“Fala-se muito em espírito nacionalista, mas as pessoas ainda não sabem bem o que é esse espírito nacionalista. Cada vez que o hino for tocado nós iremos nos reportar à nossa pátria, ao nosso estado e à nação como um todo. Eu vejo que mostrando ao aluno a importância desse hino na vida dele enquanto cidadão, iremos melhorar e muito o sentimento de patriotismo. A gente só vê o brasileiro cantando o hino na época da copa e em grandes encontros. As pessoas muitas vezes não conhecem o porquê de ficar em pé ao cantar o hino e de ter um posicionamento adequado diante da bandeira do Brasil”, assevera Luiza Rodrigues.

Ela destaca que inicialmente será necessário trabalhar um processo de conscientização para toda a comunidade interna da escola, como funcionários, professores, alunos, para que eles possam sentir que não é uma imposição, mas uma necessidade cívica. “A gente precisa fazê-los entender que estamos vivendo um novo momento na história das escolas e que todos nós precisamos estar juntos para fazer o mais bonito possível. Se tivermos que fazer isso como uma imposição para os alunos, eles não vão entender. Por isso devemos encarar como uma atitude cívica” pondera.

O estudante do curso de Segurança no Trabalho no IEEP, David Rodrigues, considera muito plausível a iniciativa. “Não só pelo hino do Brasil, mas também pelo hino do Pará, que a maioria dos paraenses ainda não conhece. Eu fiquei sabendo recentemente dessa necessidade e vejo isso como uma forma do estudante exercer a sua cidadania. No início dos estudos, no ensino infantil, é comum cantar o hino. Já no ensino fundamental não se vê mais essa prática”
.


Texto: Pablo Almeida
Fotos: Carlos Sodré


Secom

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Concurso C 137: Seduc retifica informação

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) retifica a informação de que todos os aprovados no concurso C-167, para seleção de professores da Educação Especial, foram nomeados. Dos 493 aprovados no certame, foram convocados 423 professores, e mais treze do cadastro de reserva para os municípios de Belém, Breves, Conceição do Araguaia e Itaituba - a fim de atender a demanda apresentada pelas escolas estaduais nessas cidades -, totalizando, portanto, 436 nomeados. A lista com as nomeações foi publicada na edição do dia 29 de maio do Diário Oficial do Estado. Faltam, ainda, serem nomeados outros 71 candidatos aprovados. O concurso tem validade até dezembro de 2014.

Esse foi o primeiro concurso para a educação especial promovido pelo Estado. Os professores serão lotados em 31 municípios, beneficiando 14 Unidades Regionais de Educação (UREs). Ainda serão nomeados 4 professores para a URE de Bragança, 29 para a de Abaetetuba, 6 para a de Santarém, 2 para a de Óbidos, 7 para a de Castanhal, 4 para a de Santa Izabel do Pará, 2 para a de Capanema, 1 para a de Capitão Poço, 16 para a de Belém.

Uma carta foi enviada aos aprovados com informações sobre as providências a serem tomadas. Caso o candidato não receba a correspondência pelos Correios em até duas semanas após a publicação da nomeação, o mesmo deve comparecer à Sead. Os convocados ainda terão de fazer exames médicos admissionais, que serão apresentados à perícia para composição de laudo. A posse será no prazo de 30 dias, a partir da publicação no Diário Oficial.

O nomeado deverá apresentar original e cópia dos seguintes documentos: certificado de conclusão de nível de escolaridade (correspondente ao cargo), CPF, RG, título de eleitor, comprovante de votação da última eleição (dois turnos), PIS, certidão de nascimento, comprovante de residência e atestado de antecedentes criminais da Justiça Estadual e Federal. O prazo para a posse poderá ser prorrogado por mais 15 dias; depois disso, o ato de provimento será tornado sem efeito.

Texto: Mari Chiba
Ascom/Seduc

quinta-feira, 6 de junho de 2013

UFPA vai adotar o Enem como único Processo Seletivo para 2014

Em reunião extraordinária realizada nesta segunda-feira, 3, o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Pará, presidido pelo reitor Carlos Maneschy, aprovou o modelo que a UFPA adotará no Processo Seletivo 2014. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será o único processo realizado, não havendo mais outra etapa, como ocorria nos anos anteriores. Além disso, o Consepe também determinou que uma parcela do número total de vagas da Instituição será destinada ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu). De acordo com a deliberação do Conselho, essa porcentagem foi firmada em até 20%.
Orçamento - O argumento para a adoção do Enem como única etapa teve motivação orçamentária. No dia 11 de abril, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.799, que assegura a isenção total do pagamento da taxa de inscrição em vestibulares de instituições federais a estudantes de baixa renda. O direito está garantido a alunos de escola pública e bolsistas integrais da rede particular. O Decreto já passa a vigorar para os próximos vestibulares e valerá para candidatos com renda igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por integrante da família. Algumas instituições federais, entre elas a UFPA, já adotavam critérios para a isenção total ou parcial da taxa de inscrição.
Até 2013, a UFPA adotou a inscrição no CadÚnico para programas sociais do governo federal - que estabelece renda de meio salário mínimo per capta -  como critério de comprovação da baixa renda para garantir a isenção da taxa de inscrição. Agora, com a nova Lei, o direito de isenção vai além do CadÚnico e será garantido a qualquer aluno de escola pública ou bolsista integral da rede particular.  Isso iria abranger cerca de dois terços dos candidatos ao Processo Seletivo da UFPA, em 2014, considerando que, em 2013, 60% dos inscritos eram oriundos da rede pública.
Déficit - A estimativa é que, em 2014, a UFPA receberia entre 110 mil a 120 mil inscrições para o Processo Seletivo. As isenções acarretariam um déficit de 3,2 a 4 milhões de reais, recursos que a UFPA deixaria de arrecadar, impossibilitando o seu processo seletivo, que é autocusteado.
Diante da situação, foi discutido, entre os conselheiros, qual seria a solução e o que isso mudaria no Processo Seletivo do próximo ano. A proposta da utilização do Enem como única etapa de seleção para o ingresso na UFPA foi aprovada no Consepe, com uma diferença de 15 votos a favor e quatro contra.
Sem alteração - Os Processos Seletivos Especiais (Educação no Campo, Indígenas, Quilombolas) e os processos que envolvem provas de habilidades específicas, como em Artes, não sofrerão alteração.
Enem - O Exame Nacional do Ensino Médio é conduzido pelo INEP/MEC envolvendo quatro áreas: Linguagens, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Matemática. A prova será aplicada nos dias 26 e 27 de outubro, em 1.632 municípios brasileiros, sendo 69 no Pará. O total de isentos do Enem, em decorrência da nova Lei, será de 5.247.993 estudantes brasileiros.
Texto: Yuri Coelho – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Laís Teixeira
Disponível em http://www.portal.ufpa.br/imprensa/noticia.php?cod=7689

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Destaque Direita

Programa de Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia abre inscrição para mestrado


O Programa de Pós Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia - PPGLS abre inscrição para curso de mestrado. O curso oferta vagas para a linha de pesquisa "Leitura e Tradução Cultural na área de concentração Linguagens e Saberes" e será realizado no Campus de Bragança.
As inscrições devem ser feitas presencialmente na Secretaria do Programa, localizada no Campus Universitário de Bragança até o dia 31 deste mês de maio. O candidato deverá apresentar no ato da inscrição os documentos solicitados no edital. As aulas estão previstas para iniciar no 2º semestre de 2013.
Para acessar o Edital, clique aqui.
Informações: www.ppgls.blogspot.com.br - pos.letras.braga@gmail.com

quarta-feira, 15 de maio de 2013

MEC lança programa de combate ao uso do crack


POR QUE O PROGRAMA FOI CRIADO?

Tendo chegado ao Brasil no final da década de 1980 e início dos anos 90, o crack vem se disseminando na maioria dos centros urbanos do país, alcançando cidades do interior e mesmo as zonas rurais, com problemas relacionados ao seu consumo e tráfico.
A diversidade de problemas trazidos pelas drogas, de dimensões biológicas, psíquicas, sociais, culturais, constitui um grande desafio para a implementação de uma política que exige uma abordagem abrangente e o desenvolvimento de ações articuladas, que contemplem a prevenção do uso, o cuidado ao usuário e o enfrentamento ao tráfico de drogas. Os eixos estruturantes do programa Crack, é possível vencer - prevenção, cuidado e autoridade - pretendem traduzir essa articulação para o enfrentamento do problema.
No campo legislativo, a Lei nº 11.343/2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Sisnad) e estabelece medidas para a prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas, é o marco legal da mudança de paradigma e de procedimentos no Brasil. A lei contempla a perspectiva da intervenção integrada, incluindo ações de promoção da saúde e de conscientização sobre os riscos do uso de crack, álcool e outras drogas, de disponibilização de serviços de atendimento e enfrentamento do tráfico.

Baixe o material informativo do programa aqui

segunda-feira, 29 de abril de 2013


Já saiu o edital para o Mestrado Profissionalizante em Letras (ProfLetras), programa de pós-graduação stricto sensu, que agrega 37 instituições de ensino das 5 regiões do Brasil. Entre as instituições da Região Norte, está a Universidade Federal do Pará (UFPA). O Programa foi proposto pela Coordenadoria da Área de Letras, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). As inscrições iniciam-se dia 22 de abril e terminam no dia 21 de maio de 2013.
O objetivo do ProfLetras é capacitar professores de Língua Portuguesa para o exercício da docência no Ensino Fundamental, com o intuito de contribuir para a melhoria da qualidade do ensino no País. O mestrado terá como área de concentração Linguagens e Letramento, e duas linhas de pesquisa: Teorias da Linguagem e Ensino e Leitura e Produção Textual: diversidade social e práticas docentes.
De acordo com a coordenadora do ProfLetras na UFPA, professora Marília Ferreira, as expectativas, quanto ao curso, são positivas e importantes, porque, além da promoção da qualificação docente no Estado do Pará, o Programa visa favorecer e aprimorar aspectos da Educação Básica quanto aos estudos de linguagem. A professora destaca que a Propesp está de parabéns, uma vez que o empenho e o interesse dessa Pró-Reitoria foram fundamentais para que o Profletras fosse implantado na UFPA.
Inscrições – Para participar, o candidato deve preencher a ficha de inscrição, que estará disponível no site da Comperve, a partir do dia 22 de abril, início das inscrições. Poderão participar do concurso, candidatos com diploma de curso superior de Licenciatura em Letras, Habilitação Português, e ser professor do Ensino Fundamental, 1º ao 9º anos, em escola da rede pública de ensino do Brasil. A taxa de inscrição custa 50 reais.
Candidatos com necessidades educacionais especiais que precisem de condições diferenciadas para realizar as provas deverão preencher integralmente o Requerimento de Atendimento Especial, disponível no Formulário de Inscrição, imprimi-lo e entregá-lo ou enviá-lo para a Comperve, que disponibiliza o endereço no edital, durante o período das inscrições.
Provas - As provas acontecerão no dia 16 de junho, às 8h da manhã, nas cidades-sede de cada universidade. O local da realização das provas será divulgado no site da Comperve, a partir do dia 11 de junho. O exame será composto por 20 questões objetivas e uma discursiva. O candidato que não fizer, no mínino, 70% dos pontos da prova objetiva já estará automaticamente eliminado.
Serviço
Edital ProfLetras
Inscrições: de 22 de abril a 21 de maio
Taxa: 50 reais
Acesse aqui o Edital.
Texto: Carlos Fernando Pinheiro – Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Divulgação

quarta-feira, 27 de março de 2013

Prefeitura assina Termo de Adesão ao Projeto Orla

 Um encontro sobre gerenciamento costeiro em Bragança, nordeste paraense, reuniu Técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), representantes da prefeitura do município e demais entidade para debater a implementação do Projeto de Gestão Integrada da Orla Marítima (Projeto Orla), coordenado pela Sema, em parceria com a Superintendência de Patrimônio da União (SPU).
Também estiveram presentes secretários municipais, representantes da Universidade Federal do Pará (UFPA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e Associação dos Barraqueiros da Praia de Ajuruteua. O Projeto articula parceria com a prefeitura municipal e demais instituições federais e estaduais por meio da Comissão Técnica Estadual (CTE- Orla/PA) e da sociedade civil, que atua na zona costeira.
O Projeto Orla tem como objetivo proporcionar o ordenamento das orlas municipais nas quais o processo de ocupação já está bastante acentuado. É um instrumento criado para planejar a ocupação do espaço e o uso econômico sustentável da zona costeira. Também integra o Gerenciamento Costeiro (Gerco), outro programa coordenado pela Sema, que trata da gestão ambiental, uso e ocupação da zona costeira no Pará.
Durante dois dias, os participantes tiveram contato com experiências bem sucedidas desenvolvidas pelas instituições de ensino tecnológico e superior, assistiram à apresentação das instituições estaduais que atuam em âmbito local, formaram Grupos de Trabalho para identificação e caracterização do território e utilizaram instrumentos que possibilitam parcerias para o ordenamento e ocupação das áreas de influência do Projeto Orla na sede de Bragança e na Comunidade da Terra do Meio/Praia de Ajuruteua. Também foram apresentados dados e ações previstas no Gerco para o Estado, como o Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro. O evento terminou com a assinatura do Termo de Adesão do município ao Projeto Orla.
Segundo o gerente de Zoneamento Ambiental da Sema, Clézio Fonseca, uma das formas de contribuir para o ordenamento é a elaboração do Programa de Gestão Integrada (PGI), que, articulado ao Plano Diretor, orienta a realização de ações de infraestrutura pelo poder público municipal e outras esferas governamentais. “O programa concilia ferramentas socioeconômicas e ambientais voltadas ao ordenamento e ocupação do solo para melhoria da qualidade de vida das populações que utilizam aquele espaço”, explicou.
O Projeto Orla está consolidado como ferramenta do Gerenciamento Costeiro e já proporcionou a elaboração de cinco PGI’s em diferentes regiões do Estado. Já estão confirmadas, ainda para 2013, implementações do Projeto em outros municípios paraenses.
Disponível em http://www.ioepa.com.br/portal/noticias.aspx?id=812 

sábado, 16 de março de 2013

Bragantinos já recebem bolsa verde...


Clique aqui e confira a lista dos beneficiários.

O que é o Programa Bolsa Verde?

O que é o Programa Bolsa Verde?
O Programa Bolsa Verde faz parte do Plano Brasil sem Miséria e seu nome oficial é Programa de Apoio à Conservação Ambiental.
O Programa é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e possui vários parceiros.
Quais são os objetivos do Bolsa Verde?
Os objetivos do Programa são:
• Incentivar a conservação dos ecossistemas, entendida como sua manutenção e uso sustentável
• Promover a cidadania;
• Melhorar as condições de vida e elevar a renda população beneficiária; e
• Incentivar a participação de seus beneficiários em ações de capacitação ambiental, social, educacional, técnica e profissional.
Quais são os pré-requisitos para uma família fazer parte do Programa Bolsa Verde?
Para participar do Programa, a família deverá atender, cumulativamente, às seguintes condições:

Encontrar-se em situação de extrema pobreza, equivalente a renda per capita mensal de até R$ 70,00;
Estar inscrita no Cadastro Único;
Além das condições citadas acima, as famílias deverão desenvolver atividades de conservação ambiental nas seguintes áreas:

• Florestas Nacionais, Reservas Extrativistas federais e Reservas de Desenvolvimento Sustentável federais, administradas pelo ICMBIO;
• Projetos de assentamento florestal, projetos de desenvolvimento sustentável ou projetos de assentamento agroextrativista instituídos pelo INCRA;
• Territórios ocupados por Ribeirinhos, Extrativistas, Populações Indígenas, Quilombolas e outras Comunidades Tradicionais; e
• Outras áreas rurais definidas como prioritárias pelo Governo Federal.

Cumpridos estes requisitos, a família deverá assinar o Termo de Adesão ao Bolsa Verde, que especifica as atividades de conservação a serem desenvolvidas.

O Programa Bolsa Verde transfere recursos para as famílias?
O Programa Bolsa Verde efetua repasses trimestrais no valor de R$ 300,00 (trezentos reais) por meio do cartão do Bolsa Família, durante o prazo de até dois anos. Este prazo poderá ser renovado.
O pagamento do benefício seguirá o calendário de pagamentos do Programa Bolsa Família. Os beneficiários do Bolsa Verde que também são inscritos no Bolsa Família receberão os benefícios de forma conjunta.
Quando o começará a ser feito o repasse do benefício às famílias?
O primeiro grupo de famílias selecionado já começou a receber o benefício em outubro de 2011.
Em quais situações a família deixa de fazer parte do Programa Bolsa Verde?
A família será excluída do Programa, quando:
- Deixar de cumprir os requisitos para participar do Bolsa Verde (estar em situação de extrema pobreza e inscrita no CADÚNICO);
- Descumprir atividades de conservação ambiental previstas no termos de adesão;
- Vier a ser habilitada para outro Programa Federal de incentivo à preservação ambiental.
Quais municípios fazem parte do Programa?
Na primeira fase apenas os municípios da Amazônia Legal participam do Programa, porém, está prevista para 2012 a expansão para todo o país.
A Amazônia Legal é uma área que engloba nove estados brasileiros pertencentes à Bacia amazônica, quais sejam:
- Acre;
- Amapá;
- Amazonas;
- Mato Grosso;
- Pará;
- Rondônia;
- Roraima;
- Tocantins; e
- Parte do estado do Maranhão.
fonte: http://www.mds.gov.br/falemds/perguntas-frequentes/bolsa-familia/bolsa-verde/beneficiarios/bolsa-verde