Seja Bem Vindo

Este Blog foi criado com o objetivo de possibilitar uma maior interação entre minhas atividades e àqueles que por elas se interessarem.
Espero que gostem.
Antecipo meus agradecimentos e não esqueça de deixar seu comentário.
Sugestões pelo e-mail.
Obrigado pela visita.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A Privataria Tucana



Descrição: Prepare-se, leitor, porque este, infelizmente, não é um livro qualquer. A “PRIVATARIA TUCANA” nos traz, de maneira chocante e até decepcionante, a dura realidade dos bastidores da política e do empresariado brasileiro, em conluio para roubar dinheiro público. Faz uma denúncia vigorosa do que foi a chamada Era das Privatizações, instaurada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso e por seu então Ministro do Planejamento, José Serra. Nomes imprevistos, até agora blindados pela aura da honestidade, surgirão manchados pela imprevista descoberta de seus malfeitos.
Amaury Ribeiro Jr. faz um trabalho investigativo que começa de maneira assustadora, quando leva um tiro ao fazer reportagem sobre o narcotráfico e assassinato de adolescentes, na periferia de Brasília. Depois do trauma sofrido, refugia-se em Minas e começa a investigar uma rede de espionagem estimulada pelo ex-governador paulista José Serra, para desacreditar seu rival no PSDB, o ex-governador mineiro Aécio Neves. Ao puxar o fio da meada, mergulha num novelo de proporções espantosas.



Fonte: http://www.baixeturbo.org/2011/12/download-livro-a-privataria-tucana-pdf/

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Programação para os Festejos Beneditinos e Marujada 2011

Não sabe onde vai.........ouça o "chamado" dos tambores da Marujada e venha para a "terra das palmeiras imperiais'........

Alunos do CE João Paulo II no IFPA-Brgagança

Os alunos das oitavas séries MLM e JR visitaram na manhã desta terça-feira (13-12), as instalações do Campus do IFPA-Bragança. Acompanhados pelos professores Leonardo Monteiro e Luciano Borges, os alunos ficaram conhecendo um pouco mais dos cursos oferecidos pelo IFPA em Bragança, e quais os procedimentos sobre o processo seletivo 2012.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

CE João Paulo II realiza 2 simulado - 2011

Os alunos do CE João Paulo II realizaram na manhã desta sexta-feira, 18-11, o 2º Simulado - 2011, em preparação ao período da 4ª avaliação que será realizada na primeira quinzena de dezembro.
Assim como no primeiro semestre, no simulado constaram questões de múltipla escolha, envolvendo todas as disciplina do currículo escolar, das 5ª a 8ª séries.

Alunos da 5ª série Gerson Guimarães

terça-feira, 8 de novembro de 2011

A greve continua, Jatene a culpa é tua!

A categoria da educação da rede estadual, com a participação de mais de mil trabalhadores/as reunidos em Assembleia Geral na manhã desta segunda-feira (7) decidiram por unanimidade em continuar em greve. A decisão dos/as trabalhadores/as se baseou na total falta de confiança na justiça que rasga a decisão do STF contrariando as instâncias jurídicas em sua hierarquia e o princípio da autonomia dos poderes, favorecendo explicitamente ao poder executivo. Vale lembrar que faz parte da história deste sindicato enfrentar governos que ousaram atacar os direitos dos educadores. A categoria nunca se curvou e nem se curvará a juízes descompromissados com a justiça, nossa luta é correta, constitucional e tem apoio da sociedade que também luta por condições mínimas não apenas na educação, mas em todos os serviços públicos.

Infelizmente, o magistrado paraense não enxerga a necessidade de investimento, responsabilidade e valorização dos profissionais que trabalham sem infraestrutura e sob pressão constante de direções ditadoras ou expostos à violência. O Piso Salarial Nacional já é pago na maioria dos governos estaduais e municipais, o que deixa mais uma vez o Pará atrasado no cenário educacional.
A educação no Pará é degradante, não aguentamos mais tanto descaso. Diante disso, professores e técnicos não retornarão as atividades até que seja reconhecido o real valor do educador. Não abrimos mão de fazer valer a decisão do STF, mas para isso a justiça estadual precisa ser coerente, imparcial e decidir baseado nos fatos e não continuar com sua visão unilateral e ceder às pressões deste Governo.
Simão Jatene, sem dar a devida atenção à educação, já provou que não está preocupado em melhorar a educação e a cada dia tem tentado colocar a sociedade contra o movimento, porém, os profissionais da educação não são pautados pela (in) justiça do Estado, E sim somos pautados pela valorização e respeito à comunidade que é nosso maior objetivo e compromisso.
Governador quem usa de má fé é quem se utiliza do poder para de forma maniqueísta e maquiavélica sobrepujar aos outros poderes constituídos e a população que necessita dos serviços públicos. Apresentando-se sempre como a vítima da situação quando de fato é o único que pode apontar para a saída desse impasse. Manteremos firme a bandeira da luta em defesa de nossos direitos e por uma escola pública, gratuita, laica e de qualidade social para o nosso povo.

“Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.”

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Justiça mais uma vez dá provas de parcialidade e criminaliza os movimentos

Ao determinar pela volta ao trabalho dos grevistas acatando o pedido do Governo Jatene, a justiça do Estado, legitima a proposta do Governo que é dar o calote nos direitos dos trabalhadores em educação paralisados desde o dia 26 de setembro.

Esta forma diferenciada da justiça, ao avaliar e julgar as ações movidas contra os movimentos sociais, já vinha sendo noticiada pela imprensa marrom do Pará na semana passada. Pois, tanto o Governo quanto a grande mídia já eram sabedores desta decisão.
A justiça que temos hoje, infelizmente, não está voltada para o atendimento e superação das mazelas sociais praticadas pelos ganter’s do poder que mais uma vez se põe contra a sociedade, revelando uma visão torpe do direito meramente de propriedade, onde deveria prevalecer a função social do judiciário.
Assim, com a mesma mão que tenta obrigar a classe trabalhadora a usar mordaça, por outro lado, coloca em xeque o poder da mais alta corte deste país, pois prefere agradar ao Governo Jatene, seu patrão, do que ser o reprodutor e guardião das decisões emanadas pelo STF, que reconheceu a constitucionalidade de uma lei federal. 
Dizemos ainda, que um simples servidor público desmerece centenas de representantes do povo na Câmara Federal que legislaram para criação da Lei do Piso Salarial Nacional do Magistério. Perguntamos, para que eles servem então? ou a quem a justiça serve?
A Coordenação Estadual do Sintepp, independente da resposta da Justiça do Estado, convoca todos (as) trabalhadores (as) para participarem da Assembleia Geral nesta segunda-feira (7), no Centro Social de Nazaré, às 09 horas para decidir os rumos do movimento.
Avançar sempre, recuar jamais! Nenhum direito a menos!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Professores de matemática poderão se inscrever para especialização em Bragança

Estão abertas até o dia 27 de outubro, as inscrições para o curso de Especialização no Ensino de Matemática para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), cujo público alvo, são os professores licenciados em matemática e que atuem no ensino fundamental ou no EJA em escolas da rede pública.O curso será ministrado no município de Bragança, no nordeste do Estado e terá a duração de 12 meses, com início previsto para o dia 12 de novembro de 2011 e término no dia 17 de novembro de 2012. Quem almeja uma vaga deve fazer sua inscrição no Campus Universitário de Bragança- Faculdade de Matemática (FAMAT), na avenida Leandro Ribeiro, S/N, no bairro da Aldeia. O curso é gratuito, com aulas aos finais de semana, sempre em período integral, através da modalidade presencial modular.A carga horária total do curso é de 435 horas, divididas entre teoria (405h) e prática (30h). Para se inscrever, o docente deverá preencher a ficha de inscrição e apresentar xerox e original dos seguintes documentos: RG e CPF; Diploma ou comprovante de conclusão do curso superior de Licenciatura Plena em Matemática; Histórico Escolar; Curriculum Vitae, devidamente comprovado, com autenticação em cartório ou apresentação dos originais e uma foto 3x4.



Maiores informações podem ser obtidas através do telefone:
(91) 3425-1593 Ramal: 249.


Fonte: Ascom/Seduc http://www.seduc.pa.gov.br/portal/index.php?action=Noticia.show&idnoticia=1259&idareainteresse=1

IFPA - PROCESSO SELETIVO 2012



O IFPA – Campus Bragança está em plena fase de preparação do Processo Seletivo 2012, no qual haverá vagas nas modalidades de ensino técnico, Integrado ao Ensino Médio e Subsequente, nos cursos de: Pesca, Aquicultura, Hospedagem, Informática, Petróleo e Gás, Edificações e Agropecuária.

Os cursos técnicos Integrados são direcionados para quem já conclui o Ensino Fundamental, no qual o aluno fará o Ensino Médio juntamente com as disciplinas técnicas de acordo com o curso selecionado, com duração média de três anos a três anos e meio. Enquanto os cursos na modalidade Subsequente são para os candidatos que já concluíram o Ensino Médio e desejam uma formação técnica, estes cursos tem uma duração média de um ano e meio.
           As provas serão compostas por 50 questões de múltipla escolha com conteúdos de acordo com a modalidade de ensino, neste anos os conteúdos programáticos foram reformulados pelo corpo docente do IFPA, tendo como documentos base os Parâmetros Curriculares Nacionais, para os Cursos Integrados e a Matriz de Referência do ENEM, para os Cursos Subsequentes, que estão disponíveis a seguir:

Conteúdo Programático para o Integrado
Conteúdo Programático para o Subsequente
A Comissão do Processo Seletivo.


O início das inscrições está previsto para Dezembro e as provas para Janeiro ou Fevereiro de 2012, o Edital será lançado em breve com informações mais detalhadas. 


aninhammoreira@yahoo.com.br
Informações recebidas por e-mail de 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Conciliação: Governo faz proposta vergonhosa aos trabalhadores

A vergonhosa proposta do Governo Jatene apresentada em mesa de conciliação chamada pelo Juiz Elder Lisboa prevê o pagamento do piso salarial em 24 meses. A direção do sindicato imediatamente rechaçou tal proposta,pois demonstra o desrespeito com a educação e os trabalhadores em greve contabilizada em 15 dias letivos. Esta foi a proposta mais vergonhosa e indecente retrocedendo entre todas apresentadas até hoje pelo Governo Jatene, com aval dos super-secretários Nilson Pinto e Alice Viana.


Quanto ao desconto dos dias parados o juiz declarou que julgou a abusividade da greve e não a sua ilegalidade, e afirmou que caso o Estado desconte os dias parados irá sentenciar a devolução do dinheiro descontado ilegalmente. É importante ressaltar que faz um discurso e pratica outro, pois sabemos que longe da mesa de negociação, o governo pratica através de seus diretores e gestores o assédio moral, ameaçando o corte do ponto e na frente na justiça alega outra prática.


Em nossa assembleia geral chamada para o dia 21 de outubro [sexta-feira], às 09 horas da manhã, na Praça do Operário serão apresentados os informes da audiência de forma esmiuçada para a categoria. “Sabemos que a categoria não concordará com esta postura ridícula do Governo Jatene, por isto vamos dialogar com a categoria e a sociedade para intensificar ações que demonstra que o Governo de Simão Jatene de fato é o verdadeiro intransigente nessa história”, afirma Williams Silva – Coordenador Geral do Sindicato


Todas e todos à assembleia geral na Pça do Operário – São Brás.
Intensificar a mobilização para termos uma grandiosa assembleia.

Avançar sempre, recuar jamais!

.................................................................................................

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DO SINDICATO
1 – PSPN: A Lei nº. 11738/2008 que regulamenta o Piso Salarial Profissional Nacional, legitimada pelo acórdão publicado pelo STF, em 24/08/2011. O governo do estado vem afirmando que não paga integralmente o piso nacional em função da não previsão orçamentária e que aguarda a complementação do MEC para que isso ocorra, nós por outro lado achamos que se há a garantia do MEC é possível que os deputados utilizem de suas atribuições e votem em caráter de urgência uma emenda parlamentar que garanta um remanejamento de verbas que possibilite o pagamento do piso.


2 – SOME: O Sistema de Organização Modular de Ensino, que atende o interior do Estado ainda não está regulamentado por lei. No PCCR ficou definido que seria feito por lei complementar. O governo do Estado afirmou que colocaria a proposta em caráter de urgência na ALEPA, mas até o momento não o fez, por isso estamos apresentando nossa proposta para imediata apreciação e votação.


3 – Especialistas em Educação: no PCCR aprovado ano passado, não foi incluída a redação acordada com os deputados e governo na época, que se refere aos pedagogos e que tem a ver com o artigo 4º da Lei nº 7047. O governo ficou de apresentar em caráter de urgência a mudança, mas até agora não o fez, levando-nos a não acreditar nas palavras do próprio.


4 - PCCR Unificado: Infelizmente nosso PCCR versa apenas sobre o magistério deixando de fora milhares de servidores da educação, todavia ficou determinado na lei que em 2011 se faria a unificação por meio de lei complementar, o que não aconteceu. Pensamos que é fundamental abrir imediatamente a discussão da inclusão, levando em consideração todos os servidores, definindo um calendário para que isso ocorra.


5 – Hora Atividade e Jornada de Trabalho: propomos a discussão imediata sobre a reforma do PCCR no que trata da implementação da hora atividade, até o momento não efetivada pelo governo do Estado. De acordo com o plano, o percentual da jornada para exercício fora de sala de aula é de 20%, em contra-partida a Lei 11.738/2008 determina que 1/3 da jornada de trabalho seja cumprida em atividades pedagógicas fora de sala de aula, portanto é urgente a aplicabilidade da lei.


6 – Progressão Horizontal: foi aprovada a progressão por tempo de serviço de 0,5% no atual PCCR, valor irrisório e que não valoriza o servidor, neste sentido propomos a revisão imediata deste percentual pelo percentual estipulado no Estatuto do Magistério de 3,5%.


7 – Verbas para a Educação: considerando o prazo para aprovação da LDO e do PPA, 2012, queremos pautar o debate acerca da necessidade imperiosa de alocação de mais verbas para a educação pública em função dos resultados obtidos nas avaliações em nível nacional e por conta das condições precárias das escolas, particularmente, pelo interior do estado.


8 – Abono dos dias parados na greve: o SINTEPP, respeitando seu compromisso histórico em defesa de uma educação pública de qualidade, assume o compromisso de garantir a reposição dos dias parados em função da greve, mas isto está condicionado ao não desconto dos dias parados, em função da greve. Ademais, o sindicato cobra do governo sua co-responsabilidade com o cumprimento do calendário letivo e a ameaça, se realmente for levada à cabo, de descontar os dias parados, não ajuda, ao contrário empurra o movimento para uma situação difícil.


9 – Gestão Democrática: este é um tema caríssimo para os (as) trabalhadores (as) da educação. Na verdade, esta questão está no mesmo nível de prioridades da valorização profissional e do financiamento da educação. O fortalecimento dos Conselhos Escolares, o incentivo às formas de participação e controle social, por parte da comunidade escolar e, particularmente, a eleição direta para diretor (as), são questões sem as quais não construiremos uma educação pública efetivamente de qualidade, rompendo definitivamente com o clientelismo, com o assédio e com a privatização do serviço público.


10 – Base de Cálculos da Remuneração: Na pressa de implantar o PCCR, em função da possibilidade de concorrer à complementação de recursos da União, para o pagamento do piso salarial, o governo cometeu erros. Vários trabalhadores (as) tiveram, contraditoriamente, redução salarial em função da mudança da base de cálculo, sem que isto tenha sido negociado, sequer informado em mesa de negociação. Portanto, além da surpresa desagradável para muitos, causou estranheza a medida do governo. Neste sentido, reivindicamos a base de cálculo que historicamente foi utilizada pelo estado, inclusive por este governo na sua primeira edição e até o mês de agosto deste ano. 



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Edital do Mestrado em Geografia PPGEO/UFPA 2012

A Universidade Federal do Pará, através do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, torna público o Edital para a seleção de candidatos à turma 2012, do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Geografia. Serão ofertadas catorze vagas na área de concentração Organização e Gestão do Território. Dentre as catorze vagas, doze estão destinadas para a Demanda Social, e duas aos candidatos docentes e técnicos administrativos da UFPA. As inscrições acontecem do dia 05 de outubro até o dia 04 de novembro. As etapas de avaliação iniciam de 16 a 30 de novembro, com prova escrita, avaliação de projeto de pesquisa, defesa do projeto e avaliação do Currículum Vitae. O resultado final da seleção de mestrado está previsto para dezembro 2011.
Veja aqui o edital completo

fonte: http://www.ufpa.br/ppgeo/index.php?option=com_content&view=article&id=98:edital-do-programa-de-pos-graduacao-em-geografia-2012

sábado, 17 de setembro de 2011

Comunicado Especialização em Mídias na Educação

 A Coordenação do Curso Mídias na Educação, comunica que, em função dos recursos financeiros para o Curso Mídias na Educação, em nível de especialização, ainda não terem sido liberados pela Universidade Aberta do Brasil (UAB)/ CAPES, o início do curso não acontecerá na data prevista. Assim que houver uma definição, a nova data será informada.
A comissão pedagógica permanecerá realizando as atividades de cunho pedagógico e encaminhando os processos de tramitação interna para a realização do Curso.
Mais informações: (91) 3201-8148 – E-mail: projetomidias2010@gmail.com



FONTE:  http://www.aedi.ufpa.br/index.php/noticias/241-comunicado-especializacao-em-midias-na-educacao.html 

terça-feira, 9 de agosto de 2011

E-book: Redes e Comunidades


Nas próximas postagens, iremos divulgar alguns dos livros digitais que têm sido recentemente lançados.
Rede e Comunidades: ensino-aprendizagem pela internet, de Jaciara de Sá Carvalho, que é a síntese da dissertação de mestrado da autora na FE-USP, “situa, no centro das atenções, as ideias de redes virtuais de aprendizagem e de comunidades virtuais de aprendizagem, esclarecendo alguns aspectos cruciais das questões educacionais envolvidas e possibilitando o enriquecimento da prática pedagógica”, conforme o prefácio de Nilton José Machado.O livro, que foi editado pelo Instituto Paulo Freire, está disponível neste link.
Fonte > http://midiaseducacao.blogspot.com

E-book: A cibercultura em transformação



Também há pouco foi lançado o Volume 2 da Coleção ABCiber, A cibercultura em transformação, organizado por Eugênio Trivinho, Angela Pintor dos Reis e equipe do CENCIB/PUC-SP. O trabalho está em formato digital aberto (link) e apresenta alguns capítulos abordando a cibercultura e a educação, como O desafio comunicacional da cibercultura à educação via Internet, de Marco Silva. Por sinal, a conferência da qual resulta esse texto pode ser vista nesse link.
O volume 1 da Coleção ABCiber (A cibercultura e seu espelho) também possui contribuições às discussões da educação online e está disponível na internet, podendo ser acessado no seguinte link.
Fonte: http://midiaseducacao.blogspot.com/


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Atenção alunos do Curso de Mídias na Educação - 2ª e 3ª edição

Pré-matrícula Mídias na Educação 2011 - Especialização


A Coordenação do Curso Mídias na Educação solicita aos cursistas do nível intermediário (2ª. e 3ª. edição) a procederem à inscrição para o curso em nível de especialização – pela Universidade Aberta do Brasil (UAB)/ CAPES, enviando a confirmação de sua participação para o email projetomidias2010@gmail.com no período de 25 de julho até 12 de agosto, garantindo assim sua matrícula no curso. No ato de confirmação da matrícula, informar o nº do CPF, nº do RG e endereço completo.

Mais informações: (91) 3201-8148

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Servidores da Seduc receberão crédito para a compra de livros durante a Feira Pan-Amazônica

Vinte e dois mil servidores efetivos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) foram contemplados com o bônus do Cred-Leitura 2011, um aumento de 2 mil servidores em relação ao ano passado. Criado em 2005, o bônus faz parte de um programa especial de formação continuada aos profissionais do magistério da Seduc, que tem como objetivo, estimular o aprimoramento pessoal e profissional do quadro docente através da promoção e do acesso a recursos que contribuam na formação crítica e cidadã, favorecendo o hábito da leitura, tendo em vista a melhoria da prática pedagógica.
Desde 2010, o valor do bônus é de R$ 200, e será depositado diretamente na conta bancária do servidor ou emitido pelo banco por meio de um cartão nominal à partir dia 02 de setembro, quando inicia a XV Feira Pan-Amazônica do Livro, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Para ser contemplado é necessário que o servidor seja efetivo e possua carga horária superior a cem horas e estar inserido em alguns critérios como: ocupar cargo de professor e/ou técnico de magistério; estar lotado em regência de classe ou em projetos educacionais; ser ocupante de cargos e funções técnicas como administrador, orientador, supervisor e especialista em educação; ser professor ou técnico e estar de licença para aprimoramento, prêmio, saúde, maternidade ou paternidade; ser ocupante de cargos técnicos que assessoram diretamente escolas e alunos como bibliotecários, psicólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais e sociólogos.O bônus deverá ser utilizado, exclusivamente, nos stands da Feira do Livro até o dia 11 de setembro quando a feira termina. A lista com o nome dos servidores comtemplados com o benefício será divulgada ainda esta semana no site da Seduc www.seduc.pa.gov.br .Segundo a coordenação do Sistema de Bibliotecas (Siebe) da Seduc, professores e técnicos lotados nos municípios de Tucuruí e Santarém deverão aguardar os Salões do Livro de seus municípios para receberem o bônus. Em Tucuruí, o salão está previsto para o final de outubro, e em Santarém, para o final de novembro. “Peço aos professores destes municípios que não venham à Belém pegar seu bônus, porque não estará liberado. Eles deverão aguardar as feiras de suas cidades, momento em que o crédito será liberado”, explicou Helen dos Anjos, coordenadora do Siebe. 

Texto: Fabianna Batista
Ascom/Seduc

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Tecnologia Social

Conceito 

Tecnologias sociais são soluções simples, de baixo custo, capazes de promover uma transformação social. Seu objetivo é justamente o desenvolvimento social. São iniciativas onde a comunidade é protagonista e que podem ser reaplicadas em qualquer lugar. 
O conceito remete para uma proposta inovadora de desenvolvimento, considerando a participação coletiva no processo de organização, desenvolvimento e implementação. Está baseado na disseminação de soluções para problemas voltados a demandas de alimentação, educação, energia, habitação, renda, recursos hídricos, saúde, meio ambiente, dentre outras. São exemplos de Tecnologia Social: o clássico soro caseiro ( mistura de água, açúcar e sal que combate a desidratação e reduz a mortalidade infantil); as cisternas de placas pré-moldadas que atenuam os problemas de acesso a água de boa qualidade à população do semi-árido, entre outros. 
Leia mais em http://www.aprenderensinarts.com.br/conteudo/tecnologia_social.php

quinta-feira, 21 de julho de 2011

No Brasil, a autorregulamentação publicitária é ineficiente

Artigo comenta os desrespeitos do Conar em relação às propagandas destinadas ao público infantil e a falta de eficiência da autorregulamentação da publicidade

Por Gabriela Vuolo


As propostas de regulação da publicidade dirigida ao público infantil têm sido amplamente debatidas por representantes dos poderes Executivo e Legislativo junto com mercado, movimentos sociais e instituições que defendem os direitos das crianças frente às relações de consumo.  De alguns anos para cá, essa discussão avançou bastante no Brasil com proposições como o Projeto de Lei 5.921/2001, que tramita na Câmara Federal, seguindo uma tendência mundial em busca de regras claras para proteger crianças menores de 12 anos dos apelos comerciais.Em muitas democracias consolidadas a regulação da publicidade já se deu de diversas formas. Na Suécia, por exemplo, é proibido direcionar esse tipo de mensagem para crianças menores de 12 anos. Na Inglaterra, a publicidade de alimentos com alto teor de açúcar, sódio e gorduras é vetada durante programação focada em um público menor de 16 anos. Até os EUA, berço da sociedade de consumo, impõe restrições para esse assunto.Porém, no Brasil, o mercado publicitário, apoiado pelos conglomerados de comunicação e pelas empresas anunciantes, resiste a qualquer tipo de política pública que tenha como objetivo criar regras para a atividade da comunicação mercadológica. O primeiro argumento contrário às tentativas de regulação é o medo da censura. O segundo é que a autorregulamentação seria suficiente para zelar pela ética na publicidade.Falar em censura quando na realidade se quer garantir a proteção da criança é no mínimo uma distorção. Impor restrições aos abusos não é censurar. Anunciar brinquedos, alimentos, celulares e até carros para crianças fere o próprio Código de Defesa do Consumidor, que trata como abusiva (e portanto ilegal) a publicidade que se aproveita da vulnerabilidade infantil. Toda criança está em processo de desenvolvimento e não tem o senso crítico formado para compreender o caráter persuasivo da publicidade.Assim, a atuação do mercado deve ter limites no momento em que ameaça ferir direitos que estão acima das relações comerciais — como é o caso dos direitos das crianças, consideradas prioridade por nossa Constituição Federal.Já as iniciativas de autorregulamentação são muito importantes, especialmente para a solução de conflitos de concorrência e para estabelecer modelos corporativos de responsabilidade socioambiental. Mas claramente não são suficientes para defender temas de interesse público, como coibir os abusos do mercado. Temos dois exemplos recentes que comprovam essa tese.No fim de junho, um parecer do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) sobre uma denúncia feita pelo Instituto Alana contra uma campanha do McDonald’s causou perplexidade. O teor do parecer, assinado por um conselheiro do Conar e acolhido por unanimidade por duas câmaras da entidade, debochou do Alana com frases como  “bruxa Alana, que odeia criancinhas” e “bruxa Alana — antroposófica, esverdeada e termogênica”. O documento ainda desconsiderou iniciativas relevantes no cenário da autorregulamentação ao se eximir de avaliar o descumprimento da empresa denunciada ao seu próprio Código de Ética e ao acordo assinado junto com outras 23 empresas do setor de alimentos para restringir publicidade para crianças menores de 12 anos.O parecer do Conar também satirizou a preocupação do Alana com os altos índices de obesidade infantil no país, que já atinge 15% das crianças. O relator limitou-se a dizer: “Da mesma forma que Suécia e Dinamarca tem por base evitar que suas crianças de olhos azuis fiquem gordinhas, o Brasil tem por base acabar com a desnutrição dos nossos meninos moreninhos”. Além de ser preconceitusa e lamentável, a declaração ignora por completo o impacto da publicidade de alimentos no problema da obesidade.O episódio levou o Instituto Alana a cortar relações institucionais com o Conar, não reconhecendo mais a entidade como um representante legítimo na fiscalização da ética na publicidade. A gravidade do caso fez com que o Conar reabrisse a denúncia do Alana, prometendo dessa vez uma avaliação mais séria. Já é tarde. A falta de compromisso e o deboche não atingiram só o Alana e sim todos os cidadãos que também defendem o não direcionamento da publicidade para o público infantil.Outro exemplo da ineficiência da autorregulamentação é o não cumprimento desse acordo de autorregulamentação firmado por 24 empresas do setor de alimentos com a ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos) e a ABA (Associação Brasileira dos Anunciantes). Assinado em 2009, o acordo prevê que essas empresas restrinjam a publicidade de produtos com alto teor de açúcar, gorduras e sódio para crianças menores de 12 anos. As empresas deveriam se adequar às regras até janeiro de 2010. No entanto,  até março daquele ano apenas 7 das 24 empresas haviam cumprido os prazos.Os argumentos de censura e liberdade de atuação simbolizam a mentalidade empresarial que ainda impera no país. Embora tenham se empenhado em assimilar o discurso da responsabilidade socioambiental nas ações de marketing, as empresas colocam o ganho financeiro como prioridade absoluta, mesmo que para isso tenham que abrir mão da ética e muitas vezes passar por cima de direitos.Está na hora de mudar e de uma vez por todas entender que a democracia se faz com discussões de igual para igual. E não com manipulação de informação.Gabriela Vuolo é coordenadora de Mobilização do Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana

Fonte: Recebido por email

sábado, 16 de julho de 2011

Prefeitura inicia convocação de aprovados em Concurso

Conforme anunciado em maio, a Prefeitura de Bragança publicou na manhã desta sexta-feira, (15) a Convocação dos aprovados no último Concurso Público Municipal realizado em 27 de março de 2011. Inicialmente, foram convocados 90 aprovados de um total que preencherá as 372 vagas ofertadas, para suprirem de imediato as necessidades da administração pública. Até o final do ano, novos aprovados serão convocados.
      Os aprovados para os cargos de Assistente Social, Auxiliar de serviços operacionais, contador, enfermeiro, médico clínico geral, médico radiologista, motorista Cat. D, odontólogo, professor de educação física, professor de séries iniciais e ensino infantil – nível médio e professor de séries iniciais e ensino infantil – nível superior, deverão se apresentar no período de 18 a 22 de julho no Departamento de Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Administração.

Fonte: http://www.braganca.pa.gov.br/

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Meu pai, meu herói!

Solidão Acompanhada 
(Pe. Fabio de Melo)
Eis que agora me ajoelho aos teus pés
Nenhum canto, nenhum som, nenhuma palavra
Sou silêncio, sou quietude, és meu amado
Sou teu grito e Tu és a minha voz
Nada peço, nada imploro, nada desejo, quero apenas descansar junto de ti.
Não te falo, nem me falas
Limito-me a permanecer silencioso
Amando-te sem palavras, mas de coração
Sou teu filho, és meu Pai
Nos teus olhos deposito os meus sonhos
A ansiedade que há em mim esqueço em tuas mãos
Tua presença me invade por inteiro
Tuas mãos seguro firme, creio em ti
És minha companhia nesse instante, em que estou em profunda solidão
Não te falo, nem me falas
Limito-me a permanecer silencioso
Amando-te sem palavras, mas de coração
Sou teu filho, és meu Pai

sábado, 2 de julho de 2011

Jornal O Liberal faz denúncia de Corrupção em Bragança

Clínica de secretário é contratada sem licitação

Edição de 12/06/2011

BRAGANÇA
Dispensa de exigência legal reforça relações no mínimo estranhas
Contratada sem licitação para oferecer exames clínicos para a Prefeitura de Bragança, no nordeste do Pará, a clínica particular Ultrapreven, instalada no centro daquela cidade, ao lado da Igreja Matriz, mantém com a Secretaria de Saúde do município um vínculo, no mínimo, estranho. A empresa, fundada há dez anos, tem como sócios o secretário municipal de Saúde, Francisco Paulo de Araújo, e a esposa dele, Emi Moreira de Araújo.
A relação da Ultrapreven com a Prefeitura se dá por intermédio de uma segunda empresa, a EMSS Saúde, com sede em Belém, que é signatária do contrato de prestação de serviços com a Secretaria Municipal de Saúde - para o qual, segundo o próprio secretário, houve dispensa de licitação.
A EMSS Saúde recebe da Secretaria Municipal de Saúde de Bragança para oferecer, no espaço da clínica do secretário de Saúde, exames como mamografias, ecocardiogramas e densitometrias ósseas. Pelo uso dos espaços e dos equipamentos, a empresa paga a Francisco Paulo de Araújo, o secretário de Saúde, valores que ele prefere não divulgar.
A relação do médico com a empresa contratada pela prefeitura foi alvo de uma denúncia encaminhada anonimamente por um leitor para o email presidente.contracorrupcao@orm.com.br, criado pelo presidente executivo das Organizações Romulo Maiorana (ORM), jornalista Romulo Maiorana Junior, para receber denúncias de corrupção, favorecimentos e mau uso da máquina pública.

domingo, 26 de junho de 2011

Méritos e preconceitos

Pode-se considerar preparada para fazer suas próprias escolhas de vida e exercer cidadania toda pessoa de presumível maturidade, que domine fundamentos das ciências naturais e sociais, que saiba ler e escrever e que tenha condições operacionais de uso da aritmética. Tal pessoa não terá necessidade de ser guiada por nenhum gênio de plantão e a função do ensino básico é proporcionar aos alunos tais condições; educar também é, e deve ser sempre, libertar.
     O mesmo ocorre nos demais níveis educacionais. Educação pública ou privada custa caro ao país e à sociedade para ser desviada do seu real objetivo. Educação é a verdadeira perspectiva de justiça social para milhões de brasileiros, condição indispensável para o desenvolvimento do país e o acesso à educação superior é o coroamento deste processo.
     O chamado tripé da educação superior é constituído por ensino, pesquisa e extensão. São partes relevantes de algo muito importante: pesquisa, quando feita seriamente, é a garantia do futuro de uma nação; extensão é democracia, a abertura para a comunidade das benesses da universidade. Mas é o ensino que encerra em si quase toda esperança depositada pela sociedade na academia, os recursos gastos, o tempo, o labor, a dedicação dos professores, estudantes e familiares na procura por conhecimento, reconhecimento, empregabilidade e melhoria de vida.
     E para que isso seja alcançado é crucial que se tenha em mente uma palavra, um verdadeiro palavrão para alguns: resultados. É impossível que se faça qualquer coisa em qualquer área ignorando os objetivos que se almeja, e educação, como todas as instituições, deve ser avaliada, fiscalizada, cobrada. Toda a sociedade paga por ela e merece retorno em forma de qualidade, de estudantes bem formados, de um país melhor.
     Há uma enorme resistência quando se fala em avaliar educação, educandos e educadores. Qualquer proposta de analisar métodos e resultados nesta área gera acusações ao proponente de ser “positivista”, “fordista-taylorista” ou coisa pior; de fato, as teorias e métodos de Taylor, Fayol e Ford estão superados, mas tiveram o seu momento e a sua relevância.
     A produção artesanal anterior à 1ª revolução industrial era, talvez, mais “humana”, o trabalhador tinha participação e controle em todas etapas, da obtenção da matéria prima à comercialização, podia dizer que o resultado de seu trabalho era totalmente de sua lavra. Os objetos produzidos eram o que hoje caracterizamos quase como obras de arte, únicos, individuais; o senão era a pequena escala produtiva, que os encarecia e restringia sua posse a poucos privilegiados, não esquecendo que o ingresso nas corporações de artesões seguia protocolos que enrubesceriam até mesmo os mais nepotistas.
     Os processos industriais, como a linha de montagem de Henry Ford, possibilitaram que a maioria de pessoas tivesse acesso a bens de consumo, mais do que em qualquer outro momento da História.
     Embora o mero consumo não traga felicidade, é evidente que o mundo seria mais limpo e silencioso com menos automóveis e que são muitas as injustiças sociais decorrentes da industrialização. Que atire a 1ª pedra quem tiver coragem de dizer isso ao cidadão que finalmente consegue comprar o seu primeiro carro; ou quem puder afirmar que os servos feudais viviam em condições comparáveis às dos trabalhadores modernos.
     Carregamos, é verdade, a má consciência de uma das piores distribuições de renda do Ocidente, e relutamos em adotar melhorias que impliquem em uma atribuição madura de responsabilidades. Em função de um socialismo utópico que nunca conhecemos na prática, adquirimos ojeriza à meritocracia. A ideia de que alguém possa responder por seus atos, ser premiado por seus esforços ou punido por seus erros parece um crime de lesa pátria. A mudança de alguns velhos paradigmas certamente traria benefícios ao processo educacional.
    
 Texto de Wanda Camargo, presidente da Comissão do Processo Seletivo das Faculdades Integradas do Brasil – UniBrasil. E-mail:assessoria@unibrasil.com.br

Divulgado Listão do Parfor- 2011-2

PARFOR

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Emoção na Igreja Santuário Mãe do Perpétuo Socorro com o Padre Antônio Maria

Muita alegria na Missa celebrada pelo Padre Antonio Maria, na Igreja Santuário Mãe do Perpétuo Socorro. No final da Celebração todos os presentes se emocionaram quando o Padre Antonio Maria cantou a canção "Nossa Senhora", de Roberto Carlos, dando uma prévia de como será o show que será realizado logo mais no Ginásio Corolão, as 21 h.


sexta-feira, 17 de junho de 2011

inscrições para os Níveis Superior e Técnico Subsequente - IFPA Bragança

Estão abertas as inscrições para os Níveis Superior(Tecnologia em Gestão Ambiental) e Técnico Subsequente(Pesca, aquicultura e Hospedagem) do IFPA Campus Bragança , leia os editais e inscreva-se no link:

Informações recebidas por e-mail de 
aninhammoreira@yahoo.com.br

quarta-feira, 15 de junho de 2011

CE João Paulo II realiza 1º simulado 2011

O Centro Educacional João Paulo II realizou na manhã desta quarta-feira (15-06), seu primeiro simulado, envolvendo todos os alunos de 5ª a 8ª séries. No simulado constaram questões de múltipla escolha,de todas as disciplinas. 

Alunos da 6ª série - Turma: Cecilia Meireles

Publicar atividades na web deixa aula mais estimulante

Yannik D´elboux

Imagine como deve ser para um aluno ter seu trabalho feito em sala de aula também disponível na internet para o mundo inteiro ver e ler. A possibilidade de exposição eleva a atividade a um outro patamar de importância. Mas como fazer isso sem ser um especialista em web? A evolução das tecnologias para publicação de conteúdos na internet e leitura pela tela do computador torna a tarefa mais simples do que parece. Existem diversas ferramentas gratuitas para esta finalidade e que podem ser muito mais exploradas pelos professores, fazendo com que os trabalhos dos alunos passem também para o mundo digital. A utilização dos aplicativos não requer muito conhecimento técnico, apenas um pouco de dedicação e tempo para se acostumar com os novos recursos do que também é conhecido como “papel virtual”. Uma das principais vantagens do uso dessas tecnologias nas atividades escolares, na opinião dos docentes entrevistados nesta matéria, é estimular a participação do aluno. Sabendo que o trabalho vai ficar disponível na internet, os estudantes ficam mais motivados e tendem a caprichar mais nos textos e nas pesquisas. Outro benefício é poder compartilhar o resultado de um projeto na escola com os pais e muitas vezes parentes que moram em outras cidades. Os sites www.issuu.com (em inglês) e www.paper4web.com (em português) oferecem as ferramentas mais populares para publicação on-line de diferentes documentos eletrônicos a partir de textos e imagens: livros, revistas, jornais e o que a criatividade do professor mandar. Estas ferramentas colocam o arquivo enviado pelo usuário em formato de leitura digital, ou seja, com o mouse e o teclado do computador é possível “folhear” o documento como se fosse um livro. Os aplicativos também têm recursos de zoom para aumentar o tamanho da página e facilitar a leitura. É importante entender que as ferramentas não fazem a diagramação do conteúdo, servem apenas para armazená-lo e colocá-lo no formato de leitura. O documento será exibido da mesma maneira que foi criado, com exceção de alguns fundos e cores que podem ser acrescentados no Issuu. Se o professor ou aluno quiser produzir um livro ilustrado terá que utilizar outros programas para inserir imagens antes de enviar o arquivo. Para aqueles que dispõem de poucos recursos, criar o documento no Power Point (Microsoft Office) é uma das soluções mais simples. Tanto o Issuu como o Paper4Web disponibilizam um link do documento, ou seja, o endereço eletrônico que os leitores vão usar para encontrá-lo na internet, oferecem a possibilidade de postagem em blogs e sites para facilitar o acesso e incluem o trabalho em suas listas, que entram no sistema de buscas do Google, a não ser que o usuário opte por deixar o arquivo como privado. Nossas Curiosidades A professora Joanirse Ortiz, que dá aulas de Física e Matemática no ensino médio noturno do Instituto Estadual Rui Barbosa, de São Luiz Gonzaga (RS), teve a ideia de usar o “papel virtual” para ilustrar um trabalho dos alunos do 1º ao 3º ano sobre perguntas curiosas que a Física pode responder. O documento foi publicado na rede em julho do ano passado e já teve mais de 500 visualizações. Joanirse conta que os estudantes gostaram muito da experiência e se empenharam pesquisando mais do que geralmente fazem, consultando mais de uma fonte. “Eles cuidam do texto porque sabem que não é apenas a professora que vai olhar.” A educadora também postou o trabalho em seu blog (www.falandoemfisica.blogspot.com) e sugeriu a ideia para a colega virtual de pós-graduação, a professora Maria Elinara Diniz Vieira, da E.M.E.F. Rosalina Diniz de Souza, de Coronel Bicaco (RS), que colocou o projeto em prática com alunos da 6ª série. Contos e poemas O professor português Adão Sousa usa a ferramenta desde 2007 para dar vida aos contos e poemas dos alunos de 5º e 6º ano, com idade entre 10 e 12 anos, em uma escola na cidade de Penafiel, distrito do Porto em Portugal. Ele já publicou mais de 75 documentos dos estudantes. “A utilização deste serviço web 2.0 tem, sem dúvida, um grande potencial, na medida em que, de uma forma muito fácil, os alunos e professores veem os seus escritos ganharem mais vida por meio de um simulacro de livro com características interativas e divulgados na rede mundial com um clique apenas”, destaca o educador que é um entusiasta do uso de tecnologias digitais. Sousa coordena uma equipe de professores que desenvolve um projeto de criação de conteúdos educativos digitais e de utilização de computadores portáteis em sala de aula (www.penafielsul.com/navegar). Segundo ele, esta iniciativa também recebe muitas visitas de educadores brasileiros. Apostilas de revisão Para facilitar a vida dos alunos, o professor Dionisio Sá utiliza a tecnologia para publicar on-line apostilas com diferentes conteúdos de Matemática, principalmente revisões antes das provas. O objetivo do educador é deixar o material disponível para o aluno. Ele também divulga as apostilas em seu blogwww.matematicafina.com. “Quando não coloco o conteúdo, os alunos cobram, eles ficam habituados”, comenta o docente que dá aulas nos colégios Moderno e Santo Antônio, da rede privada, e nas escolas estaduais de ensino médio e fundamental Tiradentes e Dr. Freitas, de Belém (PA). Jornal da escola O jornal do colégio Piaget, de São Paulo (SP), começou com um projeto em sala de aula para alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, mas a publicação cresceu tanto que hoje é o principal veículo de divulgação do que acontece na escola e há três anos passou a ser também virtual. O Jornal Planeta Piaget, segundo a coordenadora pedagógica Silvana Franco, é um espaço aberto para a participação dos alunos, pais, professores e da diretoria do colégio. “Vejo um crescimento, uma evolução na escrita dos alunos”, ressalta a coordenadora sobre os benefícios do projeto. Reportagem divulgada na Profissão Mestre de maio de 2010. 


Yannik D´Elboux é repórter das revistas Profissão Mestre e Gestão Educacional. E-mail: yannik@humanaeditorial.com.br

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Em Bragança - coleta seletiva se aprende na escola

Os alunos e professores do Centro Educacional João Paulo II, também participaram do Seminário Bragança e Meio Ambiente, eles produziram uma cartilha sobre a coleta seletiva do lixo, em forma de cordel.